Polícia Federal rebate Moro e diz que a função do órgão não é produzir espetáculo

O comando da Polícia Federal rebateu as acusações do ex-juiz federal e ex-ministro da Justiça, Sérgio Moro (Podemos), de que "hoje não tem ninguém no Brasil sendo investigado e preso por grande corrupção".

A declaração do ex-magistrado foi dada durante entrevista concedida ao programa Pânico, da Rádio Jovem Pan, e chamou a atenção da cúpula da PF pelo teor crítico do presidenciável.

Em nota, a PF informou que a instituição realizou, nos últimos anos, 1.728 operações contra esse tipo de crime.

- Somente em 2020, foram deflagradas 654 ações, maior índice dos últimos quatro anos - informa o comunicado.

O comando da PF ainda afirma que o "ex-juiz confunde, de forma deliberada, as funções do órgão" e o objetivo da entidade.

- O papel da corporação não é produzir espetáculos. O dever da Polícia é conduzir investigações, desconectadas de interesses político-partidários - diz a nota.
- Moro desconhece a Polícia Federal e negou conhecê-la quando teve a chance. Enquanto ministro da Justiça, não participou dos principais debates que envolviam assuntos de interesse da PF e de seus servidores - conclui o texto.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários