Movimento agrário rejeita ideia de Lula voltar para a presidência

O ex-presidente Lula (PT), que foi condenado pela operação da Polícia Federal, a "Lava Jato", a mais de nove anos de prisão, está tentando voltar a governar o Brasil. Para tanto, o petista tem feito alianças com outros partidos como o PSDB, com o qual deseja lançar a vice na chapa o ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Lula disse que Alckmin era "necessário" porque, como um nome mais "brando e ameno" no meio de petistas e esquerdistas acirrados, seria fácil conseguir com o apoio dele, os votos de empresários e do setor agropecuário.

Mas, parece que Lula estava enganado. Movimentos agrários de Rondonópolis, em Mato Grosso, fizeram questão de demonstrar que não darão trègua ao ex-condenado. O grupo tem espalhado cartazes pela cidade com os seguintes dizeres:

- Aqui, esse bandido é reconhecido como o 'Traidor da Pátria'. Fora.... Maldito - dispararam os agricultores.

Embora as pesquisas de opinião deem vantagem a Lula, na prática, a sociedade brasileira tem demonstrado grande amparo à reeleição de Jair Bolsonaro (PL) para o Executivo Nacional. Sob o comando dele e da ministra da Agricultura, Tereza Cristina, o Brasil fechou acordos de exportação com vários países, bateu recordes de crescimento e, nos próximos 10 anos, é esperado um boom para o setor.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários