Após quatro dias de conflito, negociações iniciam na Bielorússia

A Rússia e a Ucrânia deram início, nesta segunda-feira (28), na fronteira da Bielorússia, às conversas para um cessar-fogo entre os dois países.

O objetivo dos governos é acabar - tão logo seja possível - com os ataques porque, se de um lado a Ucrânia sofre por estar menos armada; de outro, a Rússia também tem encontrado resistência dos inimigos e, muitos militares têm, inclusive, desistido de lutar.

- Queridos amigos, o presidente da Bielorrússia me pediu para dar as boas-vindas a vocês e facilitar o trabalho o máximo possível. Como foi acordado com os presidentes (Volodymyr) Zelenskiy e Putin, podem se sentir completamente seguros", disse o ministro das Relações Exteriores da Bielorrússia, Vladimir Makei,, no início das reuniões, de acordo com postagem do ministério no Twitter.

Vladmir Putin, líder da Rússia desde os anos 90, tem recebido duras críticas da população de seu país e de outros ocidentais que não concordam com o ataque. Recentemente, várias nações impuseram medidas contra o kremlin, proibindo, inclsuive, a venda de produtos russos.

Embora haja muitas cogitações, ainda não está claro, até o momento, qual a real intenção de Putin em invadir a Ucrânia.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários