Esquerda tenta censurar exibição de documentário da Brasil Paralelo em universidade federal

Grupos de esquerda tentam barrar a exibição do documentário da Brasil Paralelo, O Fim da Beleza, na Universidade Federal do Paraná (UFPR).

Ignorando o debate contraditório, a liberdade de expressão e pensamento e o direito de quem deseja assistir ao longa, esquerdistas criaram até um perfil nas redes sociais chamado "Brasil Para Lerdos"; onde pedem o banimento da produtora na instituição federal.

O filme é um apanhado da obra do filósofo britânico Roger Scruton, que trata sobre a questão estética, em vários sentidos, entre eles na própria arte e na forma como as pessoas veem o mundo hoje.

O livro Beleza, que ele publicou em 2009, rompeu com o paradigma de vertentes políticas e intelectuais que afirmavam a beleza não ser importante. A reflexão que o escritor traz é de que a beleza não só é importante como desprezá-la significa acabar com valores que foram construídos ao longo de milênios pela civilização ocidental.

Lucas Ferrugem, sócio-fundador da produtora, comentou a polêmica e disse:

- Ironicamente, um filme que critica o autoritarismo está sofrendo tentativa de censura. É um documentário com a presença de acadêmicos nacionais e internacionais, de ampla reputação e com uma bibliografia extensa - explicou.
- Logicamente, estamos abertos a críticas, mas a universidade brasileira precisa aprender a dialogar em vez de tentar proibir. Eles podem defender um mictório como arte, crianças tocando em um homem nu como arte, mas não podemos defender as obras de Florença, Veneza e Michelangelo? - disparou.

O documentário está disponível no YouTube em três episódios e a Brasil Paralelo disse que só é possível produzir o filme e disponibilizá-lo gratuitamente na internet porque a empresa conta com doações e patrocinadores, além de inscritos no canal.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários