Após morte de negociador ucraniano e duas tentativas de cessar-fogo, Rússia abre 6 corredores humanitários

O Governo de Vladmir Putin abriu, inesperadamente, nesta segunda-feira (7), 6 corredores humanitários nas cidades ucranianas de Kiev, Kharkiv e Sumy.

A informação foi dada pelo porta-voz russo Igor Konashenkov.

No domingo (6), só na cidade portuária de Mariupol, 200 mil pessoas aguardavam para deixar o país, mas não conseguiram porque as autoridades russas e ucranianas não entraram em um consenso de como isso seria feito. A ONU acredita que 1,5 milhão de pessoas tentam fugir do conflito.

Nesta segunda, porém, o kremlin voltou atrás e abriu os corredores mas quatro deles terminam em cidades de Belarus e da própria Rússia. O Governo de Volodymyr Zelensky não recebeu bem a rota pré-definida por Putin e disse que o trajeto era "imoral".

- (...) Estes são cidadãos da Ucrânia. Eles devem ter o direito de se locomover para o território da Ucrânia - desabafou um porta-voz de Zelensky.

Ainda no sábado, o negociador Denis Kireiev foi assassinado com mais outros três membros do Serviço de Inteligência da Ucrânia. Os detalhes sobre a morte deles ainda está bastante obscuro e cheio de mistério. Mas, parte da imprensa internacional afirma que os agentes morreram cumprindo uma "missão especial" e que Kireiev foi tido pelos companheiros como "traidor da pátria".

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários