Dezessete susbtâncias podem ter prejudicado o fígado de Paulinha

Um laudo realizado no fígado da cantora aponta que Paulinha Abelha, vocalista do Calcinha Preta, pode ter morrido em decorrência do uso constante de 17 substâncias que poderiam afetar o órgão.

O exame indicou que havia uma necrose no fígado da cantora e ela nem sabia disso. Uma injúria hepática induzida por medicamentos. 

O excesso de remédios pode ter prejudicado o funcionamento do fígado da cantora.

Entre as substâncias encontradas no corpo de Paulinha, havia antidepressivos, cápsulas para controle de medidas e do apetite, estimulantes, medicamentos para sono e memória e os componentes de uma erva asiática muito perigosa, a Garcinia Gambogia, que pode levar a uma hepatite fulminante.

Fora essas, também tinha outras substâncias que, combinadas, impedem que o fígado exerça sua função normamente e são mortais.

Por fim, sem conhecimento de causa, Paulinha ainda fazia uso de barbitúricos, que são sedativos e, geralmente, administrados em hospitais.

Os médicos acreditam que o coquetel usado pela artista, provavelmente, a levou à morte.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários