Namorado de Fátima Bernardes perde ação contra Zambelli

O Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE) negou, por unanimidade, a liminar interposta pelo deputado federal Túlio Gadelha, que entrou com processo contra a também deputada federal Carla Zambelli; exigindo que ela retirasse das suas redes sociais uma crítica que havia feito ao parlamentar em virtude do Projeto de Lei que reconhece relacionamentos afetivos entre parentes, idenpendente da consanguinidade. O rapaz é relator da proposta.

Todos os desembargadores da 4ª Câmara Cível entenderam que Zambelli não extrapolou seu direito à liberdade de expressão e que, como parlamentar, ela também tem imunidade para denunciar fatos sem ser punida por suas falas.

O PL 3.369/2015 recebeu, em julho de 2019, parecer favorável de Gadelha na Comissão de Direitos Humanos da Câmara. Foi devolvido ao relator e ainda não está em votação.

Naquela época, Carla Zambelli criticou a proposta e afirmou que o texto “considera ‘família’ a poligamia e o incesto”. 

- Pai com filho, pai com a filha, mãe com a filha, mãe com um filho ou qualquer combinação entre pais e filhos - explicou a proposta nas redes sociais, acrescentando que o texto, caso aprovado, permitirá ainda outras formas de casamento como “pai com várias filhas, filhos e outras pessoas de fora da família, mãe com filhos, filhas e outras pessoas de fora, pessoas de outros parentescos como avós, tios, enteados/enteadas etc e, em última análise, até incesto, chega à pedofilia”.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários