Mulher de ginecologista Renato Kalil é encontrada morta em casa

Ilana Kalil, de 40 anos, foi encontrada morta na residência do casal em São Paulo, nesta segunda-feira (14).

A nutricionista e instrumentista utilizava muito as redes sociais para defender o marido em virtude de muitas pacientes terem denunciado que ele é violento, obstetricamente, ao realizar partos. Os casos vieram à tona ano passado e o médico está sendo investigado pelo Conselho Regional de Medicina de São Paulo (Cremesp).

Em um dos casos, a blogueira Shantal Verdelho disse que ficou horrorizada ao dar à luz pelas mãos de Kalil. Durante o parto, ele a xingava e não parava de reclamar.

- Quando a gente assistia ao vídeo do parto, ele (Renato) me xingava o trabalho de parto inteiro. Ele fala: 'porr*, faz força. Filha da mãe, ela não faz força direito. Viadinha. Que ódio. Não se mexe, porr* - contou.

O médico, por sua vez, alegou que o vídeo de Shantal foi editado e que ela queria prejudicá-lo.

Com relação ao suposto suicídio da esposa, à polícia, o ginecologista afirmou que a mulher sofria de “irritabilidade frequente” e fazia acompanhamento médico. A morte de Ilana foi causada por disparo de arma de fogo e foi solicitado um exame residuográfico nas mãos e nas roupas de Renato e da mulher para ver quem atirou.

Ilana deixa duas filhas que teve com Kalil.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários