Por sororidade, Leite Moça retira camponesa da embalagem e gera polêmica

Após 100 anos, a Nestlé, dona da marca Leite Moça, resolveu tirar das embalagens do produto a camponesa que deu nome ao leite condensado.

À princípio, a recepção do público até que foi boa. Mas, alguns comentários mais reflexivos geraram um certo debate em torno dos motivos que levaram a empresa a estampar outros perfis de mulheres.

A Nestlé decidiu substituir a tradicional camponesa por seis mulheres brasileiras reais em virtude da campanha "Leite Moça® 100 anos, que começou no Instagram da marca, em abril deste ano.

Seis personagens atuais (Dona Sônia, Bia, Gabriela, Angela, Tia Bena, Terezinha e Amanda) foram escolhidas para estampar a marca. A artista plástica Débora Islas desenvolveu o projeto em janeiro. Mas, a troca das embalagens alusivas ao centenário da marca não foi unanimidade.

Um seguidor disse:

- Qual lata você prefere? A do Leite Moça tradicional, com a camponesa, ou essa nova versão, com a gordinha? Na dúvida, compre de outra marca - comentou um usuário.

Outro internauta ironizou uma charge publicada pela Folha de S. Paulo, em março deste ano, em que a camponesa diria “Fora Bolsonaro”.

A Nestlé ainda não se pronunciou sobre a polêmica, mas Renata d’Ávila, CSO da FCB Brasil, distribuidora da marca, se manifestou, em nota.

- Moça é uma marca icônica no Brasil, porque as brasileiras a tornaram icônica. A cada doce, a cada receita, ela foi passando de ingrediente a parte da nossa história. Participa de momentos inesquecíveis e se tornou uma marca amada. Queremos celebrar a sororidade centenária entre Moça e as Brasileiras, mostrando que juntas fazemos maravilhas dentro e fora da cozinha. A campanha exalta essa história, mas também olha para o futuro com o otimismo que tanto precisamos neste ano, mostrando o poder transformador das mulheres - justificou Renata.

História

O leite condensado Milkmaid chegou ao Brasil, em 1890. Em 1921, quando a Nestlé abriu sua primeira fábrica no Brasil, o produto ganhou outro nome, espontaneamente criado pelas consumidoras e em função da simpatia da camponesa que estampava as latas.

A marca ficou tão forte que, no país, é comum as pessoas substituírem o nome de leite condensado à leite moça.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários