VÍDEO: "Só entende de quebrar e de roubar a Petrobras", diz Van Hattem a Gleisi Hoffmann

A presidente nacional do PT e deputada federal, Glesi Hoffmann, subiu à tribuna para questionar o presidente Jair Bolsonaro (PL), sobre o aumento dos preços dos combustíveis.

Em fala exautada, a parlamentar disse que o chefe do Executivo poderia interferir na direção da estatal, sem levar em conta que há acionistas privados nela.

- O presidente Bolsonaro disse que a Petrobras não tem 'sensibilidade' com o povo brasileiro e que, por isso, aumenta o combustível. De que caminhão caiu este homem? A Petrobrar é uma empresa estatal, tem comando do estado brasileiro (...) O presidente da Petrobras quem nomeou foi Bolsonaro. O Conselho de Administração da Petrobras quem nomeou foi Bolsonaro. Como que Bolsonaro não tem o comando e a adminsitração da empresa? - debochou.

Na sequência, o deputado federal Marcel van Hattem (Novo-RS) desmentiu a colega e disse que o PT "só entende de quebrar e roubar a empresa".

- Defendemos que a Petrobras seja privatizada. (...) Agora, ouvir aqui a deputada Gleisi Hoffmann, do PT, falar que entende de Petrobras.... Só se entende de quebrar e de roubar porque foi um absurdo o que aconteceu com essa estatal durante os anos de Governo do PT - disparou.

Em fevereiro de 2021, o então Ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência, Onyx Lorenzoni, disse, em entrevista à Jovem Pan, que o Governo Bolsonaro estava tendo dificuldades para estancar o rombo de quase R$ 43 bilhões deixados na estatal, em 16 anos de gestões petistas. Até o ano passado, a Petrobras já tinha perdido cerca de R$ 100 bi em valor de mercado.

- Não dá para recuperar um roubo de 16 anos em apenas dois anos de governo. Houve uma roubalheira infinita na Petrobras, que contou com a omissão e conivência de muitos funcionários. Desde que Bolsonaro assumiu, a roubalheira acabou. Com muita humildade estamos recuperando o rombo deixado pelo PT, mas precisamos levar em consideração que estamos enfrentando uma pandemia, é difícil. O presidente tomou sua decisão porque aferiu que, quem estava no comando da Petrobras, não correspondia aos interesses do país. Bolsonaro tem direito de fazer essa indicação. No mercado financeiro, as ações da estatal caíram porque houve um ataque especulativo. Podemos esperar da gestão de Joaquim Silva e Luna uma Petrobras equilibrada entre os interesses dos investidores e dos brasileiros - explicou Lorenzoni, na época.

Assista:

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários