Como ajudar o portador do Mal de Alzheimer

A doença de Alzheimer é caracterizada como uma síndrome que gera, principalmente, comprometimento da memória. O paciente tem dificuldade em armazenar informações novas mas também de lembrar, com clareza informações antigas.

Sua prevalência é baixa com 65 a 69 anos (1,2%), mas costuma elevar entre 70-74 anos (3,7%) e entre 80-84 anos já é de 16,4%.

Com a progressão da doença e danos cada vez maiores do cérebro, o paciente pode vir a demonstrar dificuldade na fala, pouca capacidade de realizar alguns movimentos simples (subir escada, por exemplo), incapacidade de reconhecer objetos (não sabe para quê serve um garfo) e abstração.

Diante desse quadro algumas ações são possíveis de serem realizadas e têm provado sua eficácia científica:

1. Impor rotina diferente ao idoso: ir ao banco com ele na segunda, ao supermercado na terça, ao açougue na quarta, ao shopping na quinta...Fazer o paciente sair de casa exige adaptação cerebral ao ambiente e isso é bom!

2. Perguntar sobre situações recentes: o que ele comeu pela manhã, o que jantou ontem, quais as notícias do jornal e coisas do gênero.

3. Jogar carta, dominó e fazer palavras cruzadas também contribuem para o bom exercício cerebral.

O mal de Alzheimer é doença incurável e mas não intratável. Faça a sua parte e contribua!

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários