Menino de 13 anos, que matou mãe e irmão, fica "decepcionado" ao saber que o pai sobreviveu à chacina

As mortes ocorreram n município de Patos, no sertãoda Paraíba. O adolescente de 13 anos jogava vídeo game sem parar quando o pai lhe deu um ultimato: retirou à força o celular do garoto.

Em seguida o policial militar saiu de casa para comprar um remédio para a mulher, que ficou deitada na cama com dor de dente. O garoto aproveitou a ausência do pai, aproximou-se da cama e efetuou um disparo na cabeça da mãe.

O irmão, de apenas 7 anos, saiu, assustado do próprio quarto para ver o que acontecia e, quando viu que a mãe estava morta, começou a brigar com o jovem. A criança corre para se livrar do ataque, quando o pai entra na casa e também é alvejado.

Ao ver o pai caído na sala, o menino se agarra a ele e chora e é quando leva um tiro pelas costas.

Após a chacina, o adolescente guarda a arma do pai no cofre e chama o Samu para atender a família. 

Questionado sobre a motivação dos crimes, ele disse que era "pressionado" a tirar boas, a ajudar em tarefas de casa, mas que a "gota d'água" mesmo foi quando o pai retirou o celular dele e ele não podia mais jogar online.

O delegado do caso disse que o jovem ficou assustado quando soube que o genitor havia sobrevivido.

- Eu percebi que ele, quando soube que o pai ainda estava vivo, se assustou. Acho que ele estaria mais satisfeito se todos os três tivessem falecido - lamentou o policial.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários