TSE não responde a Bolsonaro sobre diminuição do preço dos combustíveis ao consumidor

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) juntamente com a Procuradoria-Geral Eleitoral (PGE) decidiram, nesta terça-feira (22), que preferem nem tomar conheciemnto sobre a consulta que o presidente Jair Bolsonaro (PL) fez ao órgão; a fim de saber se pode diminuir o preço dos combustíveis ao consumidor sem ser enquadrado em algum delito em ano eleitoral.

Como resultado do questionamento proposto pela Advocacia-Geral da União (AGU), a presidência teve como resposta um perturbador silêncio porque a Corte Eleitoral achou "por bem" nem responder. Sendo assim, o TSE conclui que Bolsonaro não pode nem sanar dúvidas com o órgão.

O Governo Federal vem fazendo várias tentativas de baixar o preço dos combustíveis no último ano: trocou de presidente a Petrobras, zerou alíquotas de importação do etanol e outras de responsabilidade da União e até levou proposta ao Congresso para reduzir o valor cobrado por governadores no ICMS, imposto estadual. Mas, ainda assim, o valor continua disparando.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários