Prestes a deixar o governo, Doria não entrega 68 casas prometidas dois anos atrás

O governador de São Paulo, João Doria (PSDB), como ele mesmo disse: já está em reta final de mandato. Certamente, que agora ele foca em um futuro - digamos assim - mais promissor: a cadeira do Planalto. Mas, antes de deixar o cargo, ele deveria prestar contas das obras não finalizadas e que envolveram a liberação de recursos públicos.

No pequeno município de Pilar do Sul, interior paulista, em fevereiro de 2020, o tucano fez um sorteio entre mauis de 3 mil famílias que estiveram presentes no ato. Moradores da cidade que se amontoavam para ver quem ganharia as residênciasde 48 metros quadrados.

Quem foi contemplado, obviamente, ficou muito feliz. Porém, a felicidade não durou muito tempo. Na verdade, o que levou muito tempo foi a construção para ser iniciada. Passados dois anos da "mentirinha", Doria está em fins de mandato e não definiu quando a entrega será feita. E pior: SE será feita.

O deputado estadual Danilo Balas (PSL-SP) e a federal Carla Zambelli (PL-SP) ingressaram com ações no Tribunal de Contas do Estado (TSE); a fim de que Doria explique onde foram parar os R$ 7 milhões entregues a duas construtoras (Viasol Ltda e JRA Eng. Ltda) para concluir a obra. A Secretaria de Habitação até tentou explicar, mas de forma vazia. Já a Gestão Doria não deu nem retorno.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários