Refugiados da Ucrânia já superam toda a evasão anual de crises humanitárias dos últimos 50 anos

Mais de 3,7 milhões de pessoas deixaram a Ucrânia apenas no 1° mês de guerra contra a Rússia. Esse montante supera, inacreditavelmente, a taxa anual de fuga de todas as crises humanitárias dos últimos 50 anos. 

A evasão ucraniana não foi a maior, claro. Mas, foi a mais rápida. Assim que o exército russo começou a entrar no país, os ucranianos não perderam tempo e fugiram. A saída só não foi com mais intensidade porque os corredores humanitários não foram fechados entre os dois governos em tempo e isso impediu que milhares de famílias deixassem suas casas.

Para se ter uma ideia, a Organização das Nações Unidas (ONU) disse que só em 2018 viu uma fuga com as mesmas proporções. O Alto Comissariado da ONU contou nada menos que 2,8 milhões de venezuelanos fugindo do país para territórios vizinhos. Antes disso, apenas em 1981, com a invasão soviética ao Afeganistão a população também teve medo e 2,1 milhão de pessoas saíram do lugar. Em 1994, o genocídio em Ruanda também fez 1,8 milhão bater em retirada.

Mais de 90% dos refugiados são mulheres e crianças. Dois terços deles fugiram para a Polônia, mas foi grande a concentração de quem foi para o território inimigo: a Rússia, onde têm parentes ou amigos. 

Embora os dois países tenham feito nova rodada de conversas sobre a possibilidade encerrar o conflito e selar a paz, ainda não se sabe quando a guerra vai terminar. Uma coisa é certa: segundo levantamento feito pela ONU, 90% da população ucraniana viverão em miséria.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários