Nunes Marques "bate boca" com Cármen Lúcia: "A senhora queria tirar a prerrogativa do presidente"

A discussão entre os dois ocorreu durante a votação de uma ação ingressada pela Rede, partido de oposição ao Governo Federal, no Supremo Tribunal Federal (STF). A sigla tenta barrar na Justiça o decreto do presidente Jair Bolsonaro (PL), que diminui a participação da sociedade civil no Conselho do Fundo Nacional do Meio Ambiente.

Nunes Marques votou contra a ação, cuja relatora é Cármen Lúcia, e disse que acatar o solicitado à Corte seria o mesmo que retirar do presidente o poder de decisão nos órgãos.

- Afirmar que isso seria um precedente no sentido de que o presidente da República estaria impedido em qualquer mudança de mudar especialmente para aumentar a democracia, porque amanhã ele pode mudar, isso não existe no meu voto - alegou a magistrada.
- (...) Se estivesse dizendo que o presidente da República que tem a competência regulamentar infralegal não pode exercer, porque depois não pode mudar no sentido de modificar, alterar ou aperfeiçoar uma ou outra forma de participação popular, realmente estaria em contradição absoluta com a Constituição - acrescentou, informando que o Executivo Nacional ainda pode fazer mudanças na composição das instituições.

Nunes Marques respondeu à colega com ironia e disse que se sentia "muito feliz" por seu voto ter servido "para trazer os esclarecedores pronunciamentos da relatora".

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários