Senadores retiram assinaturas para instalação de CPI sobre o MEC

Os senadores Oriovisto Guimarães (PR) e Styvenson Valentim (RN), ambos do Podemos, resolveram não mais participar da lista de congressistas que pedia a instalação de uma CPI do MEC contra o Governo Federal.

O documento estava sendo elaborado pelo senador Randolfe Rodrigues que, até pouco tempo atrás, foi vice-presidente da CPI da Covid-19; tendo muito se empenhado em conseguir provas contra o presidente Jair Bolsonaro (PL). Mas, ao final, o relatório final do colegiado foi avaliado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) e pela Procuradoria-Geral da República (PGR) como muito político e sem prova alguma contra os acusados.

Guimarães e Valentim resolveram retirar os nomes da lista porque acreditam que uma Comissão agora daria apenas "palanque" para os envolvidos; visto que as eleições serão em outubro. Antes deles, a senadora Rose de Freitas também chamou a atenção do presidente da Casa, Rodrigo Pacheco, acusando os responsáveis pela lista de fraudar a assinatura dela no documento.

Lista que precisava de 27 nomes para ser aprovada, agora tem 24. 

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários