Medicamentos não sofrerão reajuste em 2022

A câmara de regulação do setor já havia autorizado no início de abril um reajuste com percentual de 10,89% que, por sinal, estava acima da inflação de 2021. Por isso, o Sindicato da Indústria de Produtos Farmacêuticos (Sindusfarma) descarta outro aumento no preço dos medicamentos; muito embora o mercado utilize 95% dos insumos importados.

- Este ano, a recomposição chegou a 10,89%. Ela é calculada com base na inflação, IPCA, mais a variação dos índices intrassetores, que nós temos energia elétrica e câmbio. Você sabe que a energia elétrica e câmbio sofreram muito no ano passado, tiveram aumentos muito grandes, e isso impactou o nosso cálculo, que ficou em teto de 10,89% - explica Nelson Mussolini, presidente do Sindusfarma.

O teto, porém, equivale aos remédios de tarja vermelha. 

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários