Anitta é a primeira artista no mundo a manipular o Spotify para ficar no topo

A "mentirinha" veio à tona: Anitta não chegou ao topo do Spotify por mérito próprio. Não foi por fruto do seu trabalho em parceria com artistas internacionais ou porque a moça ja apareceu algumas vezes na imprensa internacional. A "diva" foi esperta. Ela ensinou, no Twitter, o "passo a passo" de como os seus milhões de seguidores poderiam criar mais de uma conta no stream e elaborar playlists com o seu mais recente sucesso, o "Envolver".

Com aulinha tão prática, os fãs de Anitta, ou pode-se até dizer que a equipe dela manipulou os números e, assim, a funkeira chegou aos 6,4 milhões de execuções. A maior parte delas, claro, vinda do Brasil com 4,1 milhões de repetições.

Olha, a coisa foi elaborada. Para se ter uma ideia, havia mensagens "instrutivas" que diziam, por exemplo: "toque uma vez por dia, não deixe no modo aleatório e aumente o volume".

Assim, de forma injusta, a brasileira passou a frente de outros artistas que, provavelmente, não manipularam o sistema para ficar na frente dos concorrentes ao ranking, como Dua Lipa, Taylor Swift, Imagine Dragons, Justin Bieber e Ed Sheeran.

Agora, Anitta tem dois títulos: o de ser a primeira artista no mundo a manipular o Spotify e o de primeira brasileira a "liderar" o topo.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários