VÍDEO: Bolsonaro acusa PT de enviar dinheiro do "Mais Médicos" a Fidel

O presidente Jair Bolsonaro (PL) comentou, nesta segunda-feira (18), durante o anúncio de substituição do programa "Mais Médicos" por "Médicos pelo Brasil", ao lado do Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que 80% dos salários dos profissionais de saúde cubanos retornavam para o regime ditador de Cuba.

- Esse era o programa no passado, o Mais Médicos, do PT. Um serviço que escravizava os nossos irmãos cubanos e não atendia a população. Não sabiam absolutamente nada de Medicina. Nada. E a gente sabe, muitas vezes, as pessoas humildes é só você tratar bem a pessoa, ela já fica satisfeita - denunciou.
- Entre outras coisas, 80% do salário ia diretamente para Fidel Castro (ex-presidente de Cuba), o pessoal ficava com aproximadamente 20% aqui (no Brasil) - afirmou.

O chefe do Planalto ainda qualificou o contrato de trabalho como escravocrata e disse que os médicos eram obrigados a aceitar as exigências de Havana; caso contrário os familiares sofriam represálias no país.

- Seus familiares ficavam em Cuba e, se eles não cumprissem aquilo determinado, os seus familiares lá sofriam. E o apoio do PT e, lamentavelmente, da base do governo foi praticamente unânime para que ficassem aqui como se escravos fossem - destacou.
- Na verdade, enganaram (governo petista) o povo brasileiro com pessoas humildes que também estavam aqui cumprindo uma missão do regime cubano. Bem, Fidel Castro não viu isso porque ele foi para um lugar bastante quente, em 2016, e o que conseguimos aqui, só Deus pode explicar a nossa vitória em 2018, fizemos com que fosse colocado um ponto final e a população deixasse de ser enganada - finalizou.

Assista:

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários