Flávio Dino se filia ao PSB e diz que pleito de 2022 será plebiscito sobre democracia no Brasil

Flávio Dino, governador do Maranhão, participou de cerimônia de filiação ao PSB, nesta terça-feira (22), e afirmou que a eleição presidencial do ano que vem será marcada por um “plebiscito” sobre democracia.

- A eleição de 22 não será mais uma. Não será uma qualquer. Será uma batalha. Será um plebiscito entre os que querem a continuidade da democracia contra o extermínio de um projeto popular. Não podemos cometer erros e minimizar o mal. Derrotá-lo (Bolsonaro) não é tarefa de poucos, nem de muitos. É de todos. Temos que nos unir. A conjuntura não comporta posturas narcisistas nem celebração de nossas virtudes. A conjuntura exige que nos juntemos - discursou o comunista.

Carlos Siqueira, presidente do PSB, afirmou que, para vencer Bolsonaro, será necessária uma "frente amplíssima", anunciando Marcelo Freixo (ex-PSOL) como candidato a governador do Rio pelo partido.

No evento, que tornou-se um ato de críticas ao Governo Bolsonaro, houve vários discursos de protesto contra o atual presidente e em defesa da unidade de uma frente ampla de oposição.

A esquerda pretende unir muitos segmentos da política contra Jair Bolsonaro e, assim, derrota-lo na eleição de 2022. Dino disse que a frente precisará juntar comunistas, socialistas, petistas, liberais, progressistas, católicos e evangélicos em um só bloco para que Bolsonaro seja derrotado.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários