Professor recebe US$ 400 mil em indenização por se opor à ideologia de gênero

O professor de filosofia, Nicholas Meriwether, da Shawnee State University, em Ohio, Estados Unidos, está sendo indenizado pela instituição em US$ 400 mil, cerca de R$ 4.665,800. Ele se recusou a utilizar os pronomes neutros para um aluno trans e foi disciplinado por seus superiores, em 2018.

Meriwether ficou tão indignado que processou a instituição. A Justiça deu ganho de causa para o docente que, agora, além da indenização, não será mais obrigado a utilizar a linguagem neutra em sala de aula.

- Como parte do acordo, a universidade concordou que Meriwether tem o direito de escolher quando usar, ou evitar usar, títulos ou pronomes ao se referir ou se dirigir aos alunos. Significativamente, a universidade concordou que Meriwether nunca será obrigada a usar pronomes, inclusive se um aluno solicitar pronomes que entrem em conflito com seu sexo biológico - explica a defesa do professor, argumentando que ele tem direito à Primeira Emenda de liberdade de expressão e religião existente nos Estados Unidos.

A universidade acordou na Justiça que Meriwether não precisa mais utilizar os tais pronomes neutros, mas negou que ele não tenha liberdade de expressão na instituição.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários