Mendonça justifica voto contra Daniel Silveira: "Comportamento violento"

O recém-empossado ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), André Mendonça, justificou o voto a favor da cassação e prisão do deputado federal Daniel Silveira (PTB-RJ).

- Como cristão, não creio que tenha sido chamado para endossar comportamentos que incitam atos de violência contra pessoas determinadas e, como jurista, avalizar graves ameaças físicas contra quem quer que seja - argumentou.

A postura do ex-Advogado-Geral da União (AGU) causou estranheza entre parlamentares bolsonaristas e eleitores do presidente Jair Bolsonaro (PL), que tinham a esperança que Mendonça faria como o colega Kassio Nunes Marques e absolveria Silveira. O voto dos odis poderia até não ter mudado o destino final do deputado, mas aliviaria a tensão na sociedade de que os congresistas podem ser cassados e presos a qualquer momento.

Bom, não foi o que ocorreu. Mendonça deu um sonoro não às desculpas de Silveira e também o condenou, ainda que fazendo de forma mais branda e afirmando ser o legislativo o lugar correto apra julgar o caso.

- Há formas e formas de se fazerem as coisas. E é preciso separar o joio do trigo, sob pena de o trigo pagar pelo joio. Mesmo podendo não ser compreendido, tenho convicção de que fiz o correto - alegou o ministro em sua defesa.

Ainda cabe recurso, mas a sentença, provavelmente, não mudará.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários