Devido a restrições da pandemia, Paulinho deixa Guangzhou da China

O meio-campista brasileiro Paulinho encerrou contrato por consentimento mútuo e deixou o time chinês Guangzhou, octacampeão da Superliga Chinesa, devido a complicações causadas pela pandemia de Covid-19.

O Guangzhou informou no domingo que o relacionamento do ex-meio-campista do Barcelona e do Corinthians com o time chinês foi encerrado dois anos mais cedo do que o previsto.

- Devido à pandemia de Covid-19 e às restrições de viagem, Paulinho foi incapaz de se unir ao clube e cumprir o contrato - disse o time em um comunicado.
- Após uma conversa amistosa, o clube e o jogador decidiram encerrar o contrato.

O ex-jogador da seleção brasileira integrou o time do sul da China em duas ocasiões, ajudando o elenco do então técnico Luiz Felipe Scolari a conquistar a Liga dos Campeões da AFC em 2015 e o título da Superliga Chinesa em 2015 e 2016.

Depois disso, ele passou uma temporada no Barcelona e voltou à China em 2018, levando o time a mais um triunfo na Superliga Chinesa em 2019 e recebendo o prêmio de Jogador Mais Valioso da liga.

O jogador de 32 anos não conseguiu jogar com o Guangzhou nesta temporada, e se torna o segundo brasileiro a deixar o clube devido a problemas ligados à pandemia -- Anderson Talisca assinou com o time saudita Al Nassr no mês passado.

- Por causa da pandemia de Covid-19, tenho que dizer adeus ao Guangzhou FC - disse Paulinho segundo Xinhua, a agência de notícias oficial da China.
- Sinto-me muito triste, mas estou torcendo para um dia voltar para ver todos vocês.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários