Acordo entre TSE e WhatsApp não inclui adiar megagrupos

O Conselho do WhatsApp decidiu e o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) confirmou: adiar a ferramenta que permite a união de dez grupos juntos só para depois das eleições de 2022.

A plataforma informou ao TSE que o acordo firmado entre eles para o combate a supostas Fake News não incluía essa abordagem e, portanto, ficou de fora dos protocolos.

Apesar dos apelos do presidente Jair Bolsonaro (PL) de que limitar os grupos seria cercear a liberdade de expressão, o WhatsApp anunciou no Palácio do Planalto que a medida será tomada logo após as eleições e alegou que a decisão não tem quelaquer interferência do Tribunal Eleitoral. 

Para substituir a junção de vários grupos em outro maior, a plataforma disse estar preparando outra funcionalidade mas ainda sem data para lançamento no Brasil.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários