Trudeau quer confiscar ativos russos e jura transferir todo o dinheiro em ajuda à Ucrânia

A ministra das Relações Exteriores do Canadá, Mélanie Joly, disse, nesta quarta-feira (27), que o país estuda formas de confiscar a propriedade de 203 pessoas que o governo considera "cúmplices" de Vladmir Putin, em sua empreitada contra a Ucrânia.

- Estamos buscando a capacidade não só de aprender, e sim, de autorizar o confisco da propriedade de pessoas e entidades sancionadas e nos permitir compensar as vítimas (ucranianas) depois - ameaçou Joly.

O Canadá já vem impondo sanções econômicas contra pessoas e empresas ligadas à Rússia desde 24 de fevereiro, quando o kremlin invadiu o país vizinho. Mais de 1.100 pessoas foram restringidas em seus direitos. Elas não podem mais entrar no país, acessar o seu dinheiro nem fazer transações bancárias. O primeiro- ministro, Justin Trudeau, disse estar contente com o "pacote" desenvolvido.

- Somos o primeiro país do G7 a oferecer este novo recurso porque acreditamos que funcionará - argumentou.

Sem mencionar o valor dos ativos russos em território canadense, Mélanie Joly deixou escapar que o montante é "considerável" e o governo jura que vai transferi-los totalmente para restauração da Ucrânia.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários