Pesquisa de estudante do Ensino Médio relaciona câncer a atividades profissionais e ganha prêmio internacional

Foi a aluna do 3º ano do Ensino Médio do Colégio Dante Alighieri, em São Paulo, Maria Eduarda Palomba, quem fez a descoberta.

Maria Eduarda conta que, em 2018, ela visitou a Feira Brasileira de Ciências e Engenharia (Febrace). Na ocasião, ela teve acesso a pesquisas de vários profissionais sobre a incidência de câncer e decidiu que queria seguir o mesmo caminho.

Focada nos estudos, ela ingressou no programa da escola chamado "Cientista Aprendiz" e resolveu investigar a fundo a incidência da Leucemia Mieloide Crônica (LMC), muito comum em homens adultos.

De posse dos primeiros dados, a aluna decidiu associar a incidência desse tipo de câncer às profissiões as quais os homens desempenhavam e foi muito bem sucedida. O Laboratório de Hematologia da Universidade de São Paulo (USP) estabeleceu parceria com a professora da jovem no colégio, Bianca Rocha, e cedeu à estudante 153 prontuários de pacientes diagnosticados com a doença.

Utilizando o tempo que teve, em 2020, durante a pandemia da Covid-19, Maria Eduarda cruzou os dados dos pacientes com a Classificação Brasileira de Ocupações e da Associação de Medicina do Trabalho, e descobriu que as profissões em área industrial podem ser indicadas como atividades de risco para o câncer. Além disso, o contato com produtos químicos é outro fator preocupante; já que 48% dos doentes atuavam com benzeno.

A pesquisa da aluna foi tão reveladora que ela conquistou o prêmio internacional "I Giovani e le Scienze".

- Reconhecimento merecido e relevante - destaca a professora Bianca.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários