Justiça decide fechar Museu da Diversidade em São Paulo

A Justiça de São Paulo acatou denúncia do deputado estadual Gil Diniz (PL) e fechou o Museu da Diversidade Sexual por tempo indeterminado.

De acordo com o "Carteiro Reaça", como é mais conhecido o parlamentar, foram identificadas no Museu várias irregularidades envolvendo o Instituto Odeon que o gerencia.

O desembargador Carlos Otávio Bandeira Lins determinou a suspensão imediata do contrato entre a Secretaria Estadual de Cultura e a organização social.

Ele baseou a própria decisão analisando a determinação da juíza Carmen Cristina Teijeiro, que considerou haver dúvidas quanto à idoneidade do Odeon.

O museu, que expõe temática para a comunidade LGBTQIA+, está em funcionamento há dez anos, mas apenas no último passou a ser gerido pela Odeon e recebeu R$ 30 milhões para serem utilziados em 5 anos. R$ 9 milhões apenas para o ano de 2022, quando a instituição de arte deveria ser ampliada e suprir outros custos.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários