Prefeitura de SP culpa vereadores por liberação de verba para comício de Lula

A prefeitura de São Paulo, sob o comando de Ricardo Nunes (MDB), se pronunciou sobre a alocação de recursos públicos em showmício do ex-presidiário Lula (PT), no domingo (1º), na capital paulista.

Em nota, a gestão municipal disse que os R$ 100 mil pagos à cantora baiana Daniela Mercury vieram de verbas de emendas paralamentares, mais precisamente, a do vereador Sidney Cruz (Solidariedade), cuja apresentação foi feita apenas dias antes do evento das centrais sindicais ser realizado.

A prefeitura de SP defendeu o parlamentar e disse que os recursos são "um direito do vereador"..

- As emendas parlamentares são um direito do vereador, que tem total autonomia para indicar onde os recursos devem ser aplicados. A Prefeitura, portanto, não tem qualquer ingerência sobre esse mecanismo legal - alegou em documento.

A gestão municipal de Nunes também se isentou de qualquer responsabilidade quanto à propaganda eleitoral antecipada, que está proibida até agosto deste ano. Durante o show, Daniela Mercury, que é amiga de Lula, levantou a bandeira em apoio ao petista algumas vezes.

- O evento de 1º de Maio é organizado e realizado, anualmente, pelas centrais sindicais, responsáveis por toda a infraestrutura necessária, curadoria e conteúdo exposto durante o evento - esquivou-se a prefeitura.

Na terça-feira (3), a vereadora Sonaira Fernandes protocolou uma denúncia no Ministério Publico do Estado para que o órgão apure as irregularidades e abriu uma Ação Popular contra a prefeitura por desrespeito á moralidade pública.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários