WhatsApp aumenta o número de integrantes de grupos para 512 pessoas, mas deixa de fora o Brasil

Agora, ao invés dos grupos possuírem até 256 participantes, como ocorre hoje em dia, a plataforma vai permitir que 512 integrem os perfis de conversa. A mudança foi divulgada nesta quinta-feira (5).

O aplicativo de mensagens também informou que arquivos com até 2 gigabytes poderão ser encaminhados entre os usuários. Mas, estes recursos não estarão disponíveis aos brasileiros. É que, embora tenha desmentido ao presidente Jair Bolsonaro (PL) que a rede social da Meta/Facebook fez um acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE), na prática, a estratégia beneficiou o "pacote" implantado pelo ex-presidente da Corte eleitoral, Luis Roberto Barroso.

Aos críticos, o WhatsApp informou que o Brasil não foi incluso nas novidades porque "não é um mercado prioritário".

Segundo levantamento feito pela Câmara dos Deputados e o Senado Federal, em 2019, 79% dos entrevistados disseram se atualizar das notícias pelo aplicativo e confirmaram que as redes sociais são uma das principais influências na sociedade brasileira.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários