Em visita à Guiana, Bolsonaro revela preocupação com segurança alimentar no mundo

Em viagem à Guiana, nesta sexta-feira (6), Jair Bolsonaro (PL) fechou importantes acordos com Mohamed Irfaan Ali, presidente do país vizinho nas áreas de segurança alimentar, infraestrutura, energia e segurança.

O governo da Guiana descobriu, em 2015, que poderia explorar petróleo e, extrai, atualmente, 120 mil barris por dia. Mas, a meta é chegar em 1 milhão, nos próximos anos.

Com a experiência que o Brasil tem no setor de petróleo, Bolsonaro acredita que empresários brasileiros possam entrar como investidores na exploração do vizinho e o Governo Federal podem firmar parcerias de ajuda mútua à Guiana.

Embora tenha sido projetado um "boom" para o agronegócio brasileiro para os próximos 10 anos, Bolsonaro demonstrou preocupação com a segurança alimentar no planeta em virtude ainda da dependência que o país tem dos defensivos russos.

Esta, no entanto, não é a primeira vez que o presidente brasileiro revela receio quanto ao futuro do fornecimento de alimentos e insumos agrícolas no mundo. Em 18 de abril passado, durante visita da diretora-geral da Organização Mundial do Comércio (OMC), a nigeriana Ngozi Okonjo-Iweala, o Itamaraty, destacou a importância do comércio de produtos agrícolas e de fertilizantes para garantir a segurança alimentar na Terra e Bolsonaro disse ter expectativas de que a 12ª Reunião Ministerial da OMC tenha resultados concretos para as nações.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários