Escola cristã de MG é acionada pelo MP por criticar ideologia de gênero

A escola cristã em Itaúna, interior de Minas Gerais, elaborou um panfleto no qual alertava os pais dos alunos sobre símbolos como caveiras, unicórnios, arcoíris e o rosto de Che Guevara.

Por ser uma instituição com valores baseados na Bíblia, a instituição de ensino disse que não permitiria que os estudantes entrassem no colégio vestindo tais itens e foi denunciada no Ministério Público do Estado.

- As principais ideologias antifamília têm feito de tudo para se instalar em nosso meio, e utilizam materiais infantis e com estampas que parecem ingênuas - diz o material.

E acrescenta:

- O arco-íris que é um símbolo de aliança de Deus com seu povo. Foi raptado pela militância LGBT (...). Também tem sido muito presente no cotidiano infantil a figura do unicórnio. Ele é sempre representado como uma figura doce e encantadora. Sua origem é diversa, mas o perigo é o que ele representa atualmente, pois também é utilizado por personalidades para identificar alguém de gênero não binário, que não se identifica como homem, como mulher, e nem mesmo como um transexual - explica o comunicado.

Embora o panfleto não contenha menções ofensivas ou de repúdio a pessoas LGBT e tenha sido distribuído a pais de crianças e adolescentes que professam a mesma fé, o MP condenou a escola a pagar R$ 500 mil em indenização por “danos morais coletivos” e ainda custeie a “produção e divulgação de material contranarrativo ao discurso de ódio praticado”.

A indenização será destinada a “entidades representativas de pessoas LGBTQIA+” ou ao Fundo Especial do Ministério Público do Estado de Minas Gerais (FUNEMP), para ser aplicado em “projetos de enfrentamento a LGBTfobia”, afirma o órgão.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários