Sem provas de racismo, Lewandowski arquiva inquérito contra Bia Kicis

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandowski, arquivou inquérito contra a deputada federal e também presidente da CCJ da Câmara, Bia Kicis (PL-DF). A procuradora aposentada era acusada de suposto ato de racismo por ter publicado nas redes sociais uma imagem com o rosto dos ex-ministros Sérgio Moro (União Brasil) e Luiz Henrique Mandetta pintados de preto.

Na postagem, a parlamentar comentou:

- Não tá fácil pra ninguém! Vem ser feliz, prezado! Não dá mais pra ficar em casa - 

O Ministério Público Federal (MPF) colheu o depoimento da deputada e entendeu que ela não havia praticado racismo, mas injúria simples. Por isso, solicitou o arquivamento do processo.

- Em sua última manifestação, a PGR assentou que os dizeres publicados pela deputada foram desprovidos de finalidade de repressão, dominação, supressão ou eliminação de alguma raça, subsistindo, ao final e ao cabo, apenas crimes contra honra - escreveu Lewandowski na decisão, acrescentando que o caso pode ser reaberto, "se houver novas provas".

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

 

Mostrar comentários