Quarteto poliamoroso cria os filhos sem saber quem é o pai: "Não importa"

A vida em casal já é difícil, com muitas opiniões divergentes, gostos diferentes e até brigas, certo? Não! Pelo menos, não para um matrimônio de quatro pessoas nos Estados Unidos. Dois homens e duas mulheres, que vivem o poliamor garantem, que é possível viver em comunhão no lar dividindo basicamente tudo, até o amor.

Taya Hartless, de 27 anos, que era casada com Sean, 45, e Alysia Rogers, 33, que vivia com Tyler, 35, se conheceram pelas redes sociais, quando as mulheres resolveram "apimentar" o relacionamento. Depois de vários encontros, os quatro sentiram que já se gostavam mutuamente e decidiram morar juntos no Oregon.

Cada casal já tinha um filho, mas as mulheres engravidaram e, hoje, não querem saber quem é o pai dos bebês. Ainda assim, as mães garantem que as crianças convivem bem com a indefinição e que se orgulham de dizer na escola que têm "dois pais e duas mães".

- Não nos importamos. Nós não sabemos e não queremos saber, decidimos que todos seríamos pais de todos eles - alegou Taya sobre a paternidade dos filhos.

Apesar dos desafios do início de relacionamento, eles dizem que, hoje, conseguem conviver juntos como uma familiar "normal".

- É uma vida confusa, agitada, louca, mas também maravilhosa. Eu não consigo pensar em mais nada que possamos querer - conclui Taya.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários