Jovem Pan surpreende internautas e declara apoio ao processo eleitoral brasileiro

A Jovem Pan, do empresário Tutinha, quem diria, apesar de todo o noticiário e programas mais vinculados à direita, deu um soco na boca do estômago do brasileiro e, na quinta-feira (12), defendeu a dita "democracia" e o processo eleitoral brasileiro.

A JP iniciou o editorial informando que "reafirma o compromisso com a democracia e com o fortalecimento de nossas instituições" e alegou que "não há espaço para descredibilizar o processo eleitoral com falácias". Se não tivesse sido escrito pelo próprio veículo de comunicação, poderia-se dizer que tinha sido redigido por um ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) porque as "argumentações" são, praticamente, as mesmas.

Sem mencionar o presidente Jair Bolsonaro (PL), que há anos, solicita auditoria por meios legais no processo eleitoral, a JP continuou o seu editorial mandando indiretas para o chefe de Estado que escolheu esta "digníssima" emissora para ser uma das poucas com as quais ele tem um "bom relacionamento".

- O compromisso daqueles que ocupam cargos públicos ou que almejam ocupa-los após as eleições deste ano deve ser o de defender o Estado Democrático de Direito, a independência entre os Poderes e o de respeitar as Instituições. Qualquer manifestação contrária a esses princípios não tem e não terá apoio do Grupo Jovem Pan - diz o editorial.

Por fim, a emissora reitera o "blá-blá-blá", destaca que os participantes das atrações terão liberdade para opinar nos programas (claro, a divergência e o debate têm dado muito ibope ao canal) e finaliza com chave de ouro o discurso.

- Mas, é preciso reiterar: jornalistas, comentaristas e convidados não refletem a posição do Grupo Jovem Pan enquanto instituição -

Sim, isso ficou bem claro!

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários