Após compra bilionária, Twitter acusa Elon Musk de violar contrato de confidencialidade

O processo de compra do Twitter tem andado meio estremecido de ambos os lados. O empresário Elon Musk, semana passada, pegou um susto do Conselho da plataforma, não perdeu tempo e usou a própria rede social para dizer que aquisição da big tech estaria "suspensa temporariamente". Depois, ele voltou atrás e disse ainda estava totalmente engajado no assunto.

No dia seguinte, sábado (14), ainda preocupado com o tema, o homem mais rico do mundo revelou no Twitter que a mídia social o acusava de, supostamente, quebrar regras do contrato de confidencialidades entre os dois.

- O departamento jurídico do Twitter acabou de me ligar para reclamar que eu violei seu acordo de confidencialidade ao revelar que o tamanho da amostra de verificação de bots é de 100 perfis! - contou.

O problema ocorreu, quando uma internauta perguntou a Musk como era possível avaliar a quantidade de usuários falsos na plataforma. Ele respondeu que testava uma amostra de 100 seguidores "porque é isso que o Twitter usa para calcular”.

Ao ver a informação vazada, os advogados da rede entraram em contato com Musk e não se sabe ainda se a compra será realmente finalizada sem prejuízo financeiro ao bilionário.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários