"A candidatura de um condenado em 3 instâncias tratada com naturalidade", ironiza Moro sobre investigação da PF

Segundo a Procuradoria Regional Eleitoral de São Paulo, foi uma suposta eleitora quem fez a denúncia ao órgão e acusou o ex-juiz federal Sérgio Moro e a esposa dele, a advogada Rosângela Moro, de transferirem domicílio para a capital paulista mediante "fraude nos documentos".

O Ministério Público Eleitoral (MPE) solicitou, então, que a Polícia Federal investigue o caso e confirme se houve ou não adulteração.

No final de março passado, Moro saiu do Podemos, repentinamente, e entrou no União Brasil para tentar manter a candidatura para a presidência ou Senado Federal. Mas, até o momento, nenhuma emplacou e ele não gostaria de disputar uma vaga na câmara, posto que deixaria para a esposa.

Nas redes sociais, o ex-Ministro da Justiça se justificou e alfinetou o ex-presidente e ex-presidiário Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que ele condenou a mais de 9 anos de prisão dentro da força-tarefa "Lava Jato".

- Nada há de ilegal com meu novo domicílio eleitoral. É um direito de todo brasileiro mudar. Sem problemas, prestarei todas as informações necessárias. Agora, é estranho esse questionamento, enquanto a candidatura de um condenado em 3 instâncias seja tratada com naturalidade - disparou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários