Frustrado com partido, Doria diz que vai "mais escutar do que falar" em reunião

O ex-governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que, em prévias do partido, foi o escolhido para representar a legenda na corrida presidencial, disse, neste domingo (22), que pretende "escutar mais do que falar" na reunião da cúpula da sigla agendada para esta segunda-feira (23).

O encontro já começa desfavorável para Doria; uma vez que os caciques do partido vão propor a ele que desista de disputar o Planalto e ceda o posto para a senadora Simone Tebet (MDB). Os líderes tucanos fizeram várias pesquisas e constataram que o ex-governador paulista tem uma rejeição tão grande do eleitorado que até a esquecida Tebet consegue ultrapassá-lo.

PSDB, MDB e Cidadania dizem ter encomendado levantamento em que a senadora está à frente de Doria, mas ele alega que, em pesquisa XP/Ipespe, ela parece com 2% das intenções de votos e ele 4%. Na verdade, nenhum dos dois têm qualquer chance de vencer as eleições presidenciais e, aos poucos, pelos mesmos motivos de 2018, a terceira via vai se esfacelando em disputas internas, egocentrismo e brigas pelo poder majoritário.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários