Ucrânia não deve ser aceita pela União Europeia nos próximos 15 ou 20 anos, diz França

A entrada da Ucrânia na União Europeia, um dos principais motivos pelos quais a Rússia invadiu o país vizinho, não deve ser permitida pelos próximos 15 ou 20 anos, que é o tempo que o governo vai levar para tentar recompor as perdas da nação.

O ministro-delegado da França para Assuntos Europeus, Clément Beaune, afirmou, neste domingo (22), que o grupo econômico está disposto a oferecer um acordo para o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, mas, por enquanto, não a entrada de fato.

- Temos que ser honestos. (…) Se dissermos que a Ucrânia entrará na UE em seis meses, um ano, ou dois anos, estamos mentindo. Não é verdade. Provavelmente será em 10, ou 20, anos - revelou Beaune.
- Enquanto isso, devemos aos ucranianos (…) um projeto político, no qual eles possam entrar mais à frente - adiantou, acrescentando que a proposta permitiria a livre-circulação na Europa e o “orçamento europeu para a reconstrução e a reativação do país, de sua sociedade e de sua economia".

O tema será debatido no fim de junho, quando haverá a próxima reunião da UE.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários