Arcebispo dos EUA proíbe Nancy Pelosi de receber comunhão: "Este ensinamento não mudou"

A presidente da Câmara dos Estados Unidos, Nancy Pelosi, de 82 anos, foi proibida de receber a comunhão pelo arcebispo de São Francisco, Salvatore Cordileone.

O religioso anunciou sua decisão na sexta-feira (20) e justificou que a determinação é devdo à "cruzada" que a congressista divulga a favor do aborto no país.

O arcebispo escreveu, pessoalmente, à democrata informando que ela estava proibida de receber a Sagrada Comunhão e que os padres iriam se negar a entregar; caso ela se apresentasse sem ser bem-vinda.

- O legislador católico que apóia o aborto espontâneo, depois de conhecer o ensinamento da Igreja, comete um pecado manifestamente grave, que é causa de gravíssimo escândalo para os outros. Comunhão -
- Desde o primeiro século, a Igreja afirma o mal moral de todo aborto realizado. Este ensinamento não mudou e permanece imutável. O aborto direto, ou seja, o aborto desejado como fim ou meio, é gravemente contrário à lei moral - finalizou.

A declaração do religioso vem após embate na Suprema Corte americana, que tentava modificar a lei e legalizar o procedimento no país, independente do Estado. Mas, na última hora, o projeto não foi aprovado.

Recentemente, também a democrata entrou na lista de persona non grata do presidente Vladmir Putin e foi proibida de de entrar na Rússia. O kremlin acusa várias autoridades americanas de divulgar notícias falsas contra o país e de cobrar outras nações que determinem sanções econômicas contra o governo russo.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários