Governo Federal compra remédio de R$ 160 mil e medicamento é furtado na Santa Casa de Lorena

A família de Thallysson Alves, de apenas 3 anos, ficou desolada. Eles lutaram dois anos na Justiça para que o remédio fosse comprado para a criança que tem Atrofia Muscular Espinhal (AME). Conseguiram ganhar a batalha, mas não a guerra.

Quando a medicação chegou à Santa Casa de Lorena, eram cinco doses no valor de R$ 160 mil cada uma. A última aplicação, no entanto, desapareceu.

O remédio foi comprado pelo Governo Federal e encaminhado ao centro de saúde, mas, na Santa Casa de Lorena (SP), ninguém sabe o que ocorreu com a quinta dose da criança. Sem o fármaco, o menino mal consegue se manter em pé no andador; visto que a atrofia causa alterações no gene que produz a proteína SMN, protetora dos neurônios motores.

- Ele faz quatro anos na semana que vem e essa era a última aplicação dele e um presente de aniversário. A gente estava muito empolgado com a última dose porque iria trazer mais respostas ainda e ele depende disso - lamenta Maria Alves, mãe da criança.
- O meu médico veio e avisou que não estava lá e que não sabiam onde estava. A gente ficou tentando respostas da Santa Casa, mas não nos falaram nada. Não sabemos como vamos fazer porque ele tem prazo de 15 dias para receber a medicação ou corre o risco de perder o tratamento, porque é preciso encerrar o ciclo de aplicação, e o remédio é importado - explica.
- A gente precisa de respostas urgentes pela saúde da criança que está em risco e porque essa é uma falha que pode criar um prejuízo de R$ 800 mil ao governo federal, que foi quem comprou o ciclo da medicação. Nós temos o comprovante de entrega das cinco doses e eles só nos entregaram quatro. Alguma coisa aconteceu - acrescentou o advogado da família, Bruno Mecena.

O caso é investigado pela polícia, mas a Santa Casa diz estar rastreando a medicação.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários