VÍDEO: Bolívia reduz em 30% fornecimento de gás natural para o Brasil

O Governo de Luis Arce, presidente da Bolívia, reduziu em 30% o envio de gás natural liquefeito (GNL) ao Brasil, nesta segunda-feira (23).

A estatal boliviana Yacimientos Petrolíferos Fiscales Bolivianos (YPFB) não explicou o motivo do corte, embora haja cogitações no sentido de que Arce esteja dando prioridade para a Argentina, cujo Governo de Alberto Fernández, estaria "necessitando mais" em virtude do caos econômico instalado no país depois do mais longo e severo lockdown do mundo proposto pela base kirchneriana.

A Petrobras reagiu ao ataque e disse que a Yacimientos Petrolíferos tem que cumprir o contrato já assinado entre ambas as empresas. Porém, alguns analistas acreditam que o governo boliviano não voltará atrás na medida. Um dos motivos seria o lucro extraordinário da estatal brasileira no primeiro trimestre deste ano.

O presidente Jair Bolsonaro (PL) também comentou a queda no fornecimento de gás e disse que parecia mais "um Plano B" de países vizinhos para destruir a economia brasileira pouco antes das eleições presidenciais.

- A Bolívia cortou 30% do nosso gás para entregar para a Argentina. Como agiu a Petrobras nessa questão também? Parece que é tudo orquestrado. O gás, se tiver que comprar de outro local, é cinco vezes mais caro - adiantou.
- Quem vai pagar a conta? E quem vai ser o responsável? É um negócio que parece, né, orquestrado para exatamente favorecer vocês sabem quem - explicou a apoiadores.

Assista:

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários