Governo Bolsonaro quer diminuir dependência do Brasil de defensivos agrícolas russos

O Governo do presidente Jair Bolsonaro (PL) estuda hipóteses para diminuir a dependência do Brasil de defensivos agrícolas importados da Rússia.

O Planalto pretende reduzir em 50% a compra dos fertilizantes, que, hoje, está em 85% do total dos produtos usados em território brasileiro.

Jordânia, Egito e Marrocos já se prontificaram a enviar os defensivos para o Brasil e substituir o kremelin, que vê a produção afetada em virtude da guerra contra a Ucrânia.

O diretor de projetos do Ministério da Agricultura, Luis Eduardo Pacifici, comemorou a oferta e disse que a União monitora de perto essa questão.

- Do ponto de vista de abastecimento, o monitoramento logístico e a diplomacia dos fertilizantes têm dado os efeitos para prever estoques suficientes; para que o agricultor possa fazer seu plantio no começo do verão. O que nós queremos, em 2050, é transformar uma realidade de 85% em 50% - esclareceu.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários