Lula evita encontro com empresários porque ainda não tem plano de governo

O ex-presidente e ex-presidiário, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), já bradou aos quatro cantos do mundo o que pretende fazer com o Poder Judiciário, as polícias, o Ministério Público, os militares e até como prentende censurar a internet; caso seja eleito presidente do Brasil. Mas, o petista tem evitado participar de debates com empresários e executivos para divulgar qual o seu plano de governo. E, para isso, tem um motivo bem simples: ele ainda não tem um plano de governo fechado.

Por isso, quando é convidado para esse tipo de evento, que vai exigir muito conhecimento da atual conjuntura e da economia brasileira, Lula costuma enviar aliados que saibam falar sobre o mercado financeiro.

A XP Investimentos, por exemplo, chamou o ex-presidiário para uma conversa "franca" com empresários, mas ele não foi. Em seu lugar, mandou o deputado federal Alexandre Padilha (PT), que tocou em assuntos e foi favorável a temas dos quais Lula era contrário; mas, agora, diz que "pretende revisar".

Wellington Dias, ex-governador do Piauí, disse que é isso mesmo: Lula tem se esquivado de perguntas difíceis. Para ele, o petista quer "ouvir e compreender mais os desafios das empresas em cada área" antes de sair falando pelos cotovelos e ser avisado por sua equipe que temas controversos não pegam bem. Pelo menos, não por agora, às vésperas da eleição. O problema é o depois.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários