Magistrados de cortes superiores vão a Portugal bancados por empresas pendentes de julgamento

De juízes a desembargadores de várias Cortes superiores do Brasil, estarão participando, nesta semana, de fórum do Instituto Brasileiro da Insolvência (Ibajud), em Algarve, Portugal, e terão as despesas com passagens e estada completamente pagas por empresas que estão com processos pendentes no Poder Judiciário.

Pode parecer inacreditável e antiético, mas, segundo reportagem do Estadão, que denunciou o fato, é exatamente isso que está ocorrendo. Os ministros do STJ João Otávio de Noronha, Marco Buzzi, Paulo de Tarso Sanseverino, Moura Ribeiro, Raul Araújo, Ricardo Cueva, Ribeiro Dantas e Gurgel de Faria também estarão lá. Até o integrante do STF, Ricardo Lewandowski fará "palhinha" no encontro.

- Na Corte superior, os ministros Raul Araújo, Paulo de Tarso Sanseverino, Moura Ribeiro, Ricardo Cueva, Gurgel de Faria e Marco Buzzi vão julgar casos de parte dos patrocinadores, como os escritórios TWK; Galdino & Coelho; Leite, Tosto e Barros; e o banco BTG - informou o jornal.

Juízes e desembargadores ficarão hospedados em hotel quatro-estrelas, cujas diárias custam R$ 1 mil e o valor do ingresso para o encontro custa a "bagatela" de R$ 900. Mas, será totalmente revestido para "projetos sociais", segundo a organziação.

Nenhum ministro do STJ manifestou-ser sobre conflito de interesses, nem Ricardo Lewandowski.

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) limitou-se a dizer que a viagem dos magistrados não trará "ônus" à instituição e finalizou o assunto.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários