Acusada de esquartejar o próprio marido, Elize Matsunaga acredita que ele a perdoou

Foi um conto de fadas enquanto durou. A ex-prostituta, Elize Matsunaga, conheceu um empresário rico, Marcos Matsunaga, por quem ela se apaixonou e casou. Porém, o matrimônio não decolou e, em pouco tempo, o executivo da Yoki já estava nos braços de outra garota de programa.

Desconsolada, Elize atirou, em 2012, no marido com a arma que ele lhe presenteou e, para esconder o crime, ela o esquartejou durante a noite e saiu com os pedaços em uma mala para jogar em vários cantos da região onde morava e, assim, tentar disfarçar o assassinato.

Ela alega que o amava e que ele queria a guarda da filha do casal somente para ele. Pensando em proteger a menina, ela o matou.

Agora, após ser condenada a quase 20 anos de prisão, Elize deixou a penitenciária de Tremembé, onde estava, e ganhou não só a liberdade condicional como um livro e um documentário em sua "homenagem", e com direito à atuação de Rodrigo Santoro.

Maquiada e feliz, Elize diz estar recebendo uma "segunda chance" e o perdão do marido.

- Infelizmente não posso consertar o que se passou, o erro que cometi. Estou tendo uma segunda chance, infelizmente o Marcos não. Mas, acredito na espiritualidade, que ele já tenha me perdoado e peço isso nas minhas orações - afirmou, acrescentando que pretende cursar uma faculdade.

Se depender da Família Matsunaga, no entanto, Elize não terá dias tranquilos fora da prisão. É que os familiares de Marcos, já deram entrada no processo que tira dela o convívio com a filha de 11 anos e até o nome da mãe na certidão de nascimento da menina.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários