Júri condena Johnny Depp e Amber Heard por difamação. Ator deve indenizar U$S 2 milhões e a atriz U$S 15 mi

Após anos de processo, o veredito final da ação que a atriz Amber Heard, de 36 anos, moveu contra o ex-marido, o também ator Johnny Depp, 58, foi dado nesta quarta-feira (1). Ambos foram condenados por difamação no Tribunal do Condado de Fairfax, no estado norte-americano da Virgínia. Mas, a decisão final do júri foi pior para ela que deverá pagar a Depp U$S 15 milhões, enquanto ele terá que ressarcí-la em U$S 2 mi.

- A decepção que eu sinto hoje vai além das palavras - disse Amber, ao receber a sentença.

Johnny Depp não estava presencialmente quando a decisão foi proferida. Ele se encontra na Inglaterra, preparando-se para um show ao lado de Jeff Beck. Mas, sua ex-mulher fez questão decomparecer ao tribunal e ficou atônita.

O casal de atores se conheceu em 2011, durante as filmagens do filme "Diário de um Jornalista Bêbado". Engataram um namoro e casaram em 2015, mas, dois anos depois, veio o divórcio conturbado.

Em 2018, Amber comentou a um jornal americano que já havia sofrido violência doméstica, porém não citou o nome de Depp. Internautas, entretanto, obviamente, relacionaram o caso declarado com o ator e ele tomou medidas judiciais; uma vez que sua carreira cinematográfica estava indo por água abaixo.

O artista pediu U$S 50 milhões à atriz por difamação, enquanto Amber exigiu U$S 100 milhões por ter sido taxada como mentirosa pelo advogado do ator.

O astro de "Piratas do Caribe" nega, veemente, ter tocado em um fio de cabelo da ex-mulher, afirmação que foi comprovada por áudios vazados. Por outro lado, Amber não tem como desmentir as acusações de agressão física que fez ao ex-marido das quais está sendo acusada.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários