"Agrego muito voto para ele. Sou mais moderada", diz Janaína Paschoal se oferecendo para ser vice de Bolsonaro

A deputada estadual e professora de Direito, Janaína Paschoal (PRTB-SP), que havia negado convite para ser a vice na chapa de Jair Bolsonaro em 2018, agora, diz que estaria disposta a aceitar a proposta, neste ano, para, supostamente, manter a "moderação" no Planalto.

- Se eu conseguisse sentar com ele, entender o que ele planeja para seu próximo mandato, estaria tendente a aceitar. Até porque acho que agrego muito voto para ele. Sou muito mais moderada. Sou muito mais ponderada, defensora de todas as garantias, de todas as liberdades - alegou, sem modéstia.

E acrescentou:

- Quebraria um pouco esse medo que as pessoas têm de qualquer quebra institucional. Eu daria uma garantia em termos de respeito à Constituição Federal - acredita. 

Janaína Paschoal tem dado mostras de que está preocupada com o seu futuro político em 2022. Recentemente, ela pediu pelas redes sociais para que a médica Nise Yamaguchi não disputasse uma cadeira no Senado Federal por São Paulo e foi ignorada. A oncologista não só confirmou a candidatura como também está no topo da lista das mais votadas.

Para a advogada, restou concorrer com o apresentador José Luiz Datena, que tem apoio de Bolsonaro e, talvez, Sérgio Moro, que ainda está com a candidatura cambaleante.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários