VÍDEO: Zerou mais de 100 disciplinas, mas é aluno de universidade pública há 33 anos e recebe R$ 15 mil de movimento estudantil

É difícil de entender um universitário ingressar no ensino público e se permitir passar mais de três décadas "estudando" sem se formar em nada. Pode parecer absurdo, mas, na Bolívia, o líder de um movimento de esquerda dentro da faculdade, Max Mendonza, de 52 anos, estava há 33 sem se graduar em nenhum curso e utilizava o status de "aluno" para continuar no órgão.

A imprensa boliviana só voltou as atenções para Mendonza, depos que quatro estudantes morreram em uma assembleia estudantil do campus e, então, o governo foi investigar e descobriu, não um, mas milhares de "estudantes dinossauros"

- Há líderes que, de alguma forma, usufruíram de seu papel porque eu acho que o líder universitário veio primeiro ser estudante universitário para, depois, ser líder - criticou o reitor da estatal Universidade Mayor de San Andrés (UMSA) de La Paz, Oscar Heredia.

Mendonza, que tem papel central na reunião da Universidade Tomás Frías de Potosí, que teve bomba de lacrimogênio e mais de 70 feridos, virou alvo da mídia local e dos estudantes, porque o homem está desde 1989 no ensino público sem pretender se formar em nada. Ele não cursou 200 matérias, zerou outras 100 disciplinas, mas, ainda assim, estava feliz com o salário de 

R$ 15 mil mensais que recebia por ser dirigente do Comitê Executivo da Universidade Boliviana, uma espécie de órgão que coordena os institutos públicos de ensino superior do país.

Heredia diz que não sabe como eliminar os "dinossauros" da universidade porque ele acredita ser um problema cultural no país. Dos 81.723 alunos da UMSA, 23% (18.796) estão estudando há mais 11 anos e 6,7% (5.475), há mais de 20. Há outros mil alunos que estão no campus há mais de três décadas e uma centena, há mais de 40 anos.

- É um assunto que nos preocupa, mas é tema de grande debate - lamentou.

Assista:

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários