Mendonça entra em campo e pede vistas ao Caso Francischini

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), André Mendonça, indicado à Corte por sugestão do presidente Jair Bolsonaro (PL), pediu vistas ao processo relativo ao deputado estadual, delegado Fernando Francischini (PR), adiando o plenário da casa que tentava cassar a decisão do colega Kassio Nunes Marques.

Marques havia devolvido o mandato para o parlamentar porque considerou que as sentenças, como manda a Constituição, não podem retroagir a eventos passados. Portanto, a determinação do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que cassava o deputado, era ilegal.

Cármem Lúcia, que era relatora da ação e já bateu-boca com Nunes Marques, acionou o presidente do STF para que fizesse um plenário e decidissem o caso. Luiz Fux acatou, mas Mendonça agiu e pediu vistas ao caso; adiando a votação que seria hoje.

Fernando Francischini colocou o cargo em risco ao afirmar nas redes sociais que a vitória do presidente Bolsonaro só não foi maior porque houve fraude nas urnas em 2018.

À propósito, investigação da própria Polícia Federal constatou, em relatório encaminhado ao TSE, que o sistema de eleição foi invadido naquele ano. A corte eleitoral, no entanto, não divulgou os fatos e manteve em sigilo a denúncia até que o Planalto descobriu e compartilhou.

Siga o Jornal O Republicano nas redes sociais:

Facebook: O Republicano | Facebook

Twitter: @_ORepublicano

Instagram: @_ORepublicano

Mostrar comentários